Kaled é uma pessoa especial. O acadêmico de Sistemas de Informação da Unoesc Chapecó sempre foi um aluno esforçado e muito inventivo. Interessado nos ensinamentos que lhes passavam professores e colegas, ele buscava uma solução, uma forma de poder incluir pessoas como ele mesmo, em quem os colegas se espelhavam. Viam que a sua dificuldade não era empecilho para nada.

 

 

Portador de paralisia cerebral, o jovem Kaled Weirich Oro, hoje com 21 anos de idade, participou de competição de Robótica, na época em que estudava no Colégio Bom Pastor. Sempre teve interesse e dedicação pela área de tecnologia. Em 2020 ele entregou o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), onde desenvolveu uma metodologia que possibilitou, por meio de voz, o acesso ao jogo de xadrez, uma de suas paixões, para outros portadores de deficiência.

O jovem, que hoje trabalha como desenvolvedor de software em uma empresa de Chapecó, foi campeão de xadrez nos Jogos Universitários, onde competiu contra pessoas com e sem deficiência. Em sua página na internet, ele explica a lógica do jogo e oferece um link para que se experimente a sua adaptação:

 

“O Xadrez é um esporte incrível formado por 32 peças dispostas em um tabuleiro de 64 casas que compõe um jogo com variações de jogadas quase incalculáveis. O jogo pode ser visto como uma guerra da idade média entre dois reinos distintos, onde o objetivo é a captura do rei adversário. Os dois reinos possuem a mesma quantidade de integrantes que iniciam a guerra em posições igualitárias, sendo assim o resultado depende exclusivamente da estratégia dos jogadores.”

 

 

Está previsto n Lei 13.146, de 16 de julho de 2015, conhecido como Estatuto da Pessoa com Deficiência, no capítulo IV, do Direito à Educação, que se dê a estas pessoas toda a assistência necessária para que possam desenvolver o aprendizado como os demais. Kaled teve o acompanhamento de um professor auxiliar, amparado na Legislação, até o quinto semestre do seu curso, quando decidiu que isso não seria mais necessário e deu continuidade aos seus estudos de forma independente, como os outros colegas sem deficiência. O coordenador do curso de Sistemas da Informação, professor Tiago Zonta, destaca as qualidades do aluno:

 

“O que mais chamou atenção em todo este período foi a busca e independência que muitos dos acadêmicos não apresentam, o curso em nenhum momento teve que ser diferente para  o Kaled, pelo contrário muitas vezes teve que acompanhar a busca dele e do grupo diferenciado que o seu exemplo no dia a dia criou durante estes 9 semestres.”

 

 

Kaled também é esportista. Pratica Handebol Cadeirante (HCR) na equipe Falcões do Oeste, de Chapecó. Ele conta que, em dois anos, a equipe conquistou o bicampeonato no Parajasc (modalidade paralímpica dos Jogos Abertos de Santa Catarina). Conquistaram também o bicampeonato da Paracopa SESC, em Florianópolis. E ainda foi campeão catarinense, em 2015 (HCR4), competição onde jogam quatro atletas em cada equipe e finalmente, foram campeões na primeira competição em que participaram com sete atletas (HCR7).

 

Deixe seu comentário pelo Facebook