Ajudar uma amiga de infância, vítima de epilepsia, caso ela precisasse ser socorrida em uma eventual crise convulsiva e estivesse sozinha. Este foi o objetivo que levou o CEO da IASOS (Information And SOS), Ciro Nagel De Marco a pensar em uma solução para pessoas que, como ela, sofrem de alguma comorbidade, ou precisam de cuidados especiais, em caso de acidentes. Mas como isso pode ajudar?  Quem nos explica é o próprio CEO:

 

 

Primeiramente é preciso acessar o site www.iasos.com.br e escolher um plano – individual, empresa ou familiar. A gente não cobra mensalidade, apenas uma cota de adesão. Então, o interessado preenche um cadastro com as informações essenciais, como CPF, telefone, e as principais informações sobre a sua saúde: tipo sanguíneo, se tem alguma alergia, se já fez alguma cirurgia, se tem prótese no corpo, se tem alguma comorbidade. Estas informações estarão em um único lugar, que pode ser acessado através da leitura de um QR Code (código), o que pode ser feito por qualquer smartphone conectado à internet.

 

 

Depois de preencher estas informações, produz-se um código individual e cria-se um adesivo, que é enviado para o cadastrado via Correios. Ao receber, a pessoa deve colá-lo atrás do celular, no capacete da moto, na agenda de trabalho, no notebook, ou seja, em um objeto que esteja sempre com ela. Ciro nos explica como se dá a leitura:

 

 

Em caso de acidente, o socorrista acessa logo as informações mais importantes, reduzindo o tempo de atendimento e evitando que seja cometido qualquer engano com aquele paciente. Todos os detalhes clínicos estarão a uma leitura do código.  

 

 

Em janeiro de 2020, De Marco passou um mês no Vale do Silício, principal polo de tecnologia do mundo, participando de um programa de incubação. Nesse período pôde perceber que a sua ideia poderia ser ampliada. Adaptou o que precisava, passou a fazer novos contatos, quando voltou ao Brasil. Agora a sua ideia já é realidade.

No dia 16 de agosto, o programa Tech SC, apresentado pela jornalista Rúbia Laidens, veiculado na NSCTV, produziu uma matéria sobre o assunto, exaltando a invenção do catarinense, e falando da sua importância, principalmente nestes tempos em que tanto se fala em “salvar vidas”.

Neste programa, o Comandante da Companhia de Bombeiros de Joaçaba (SC), Ilton Schpil, diz que o adesivo favorece bastante a identificação rápida, para os socorristas. O baixo custo para os usuários e a não cobrança de qualquer taxa para os órgãos de segurança pública e de saúde pública para fazer a verificação dos dados destes pacientes, favorece imensamente o tratamento precoce e a eficiência do atendimento.

Deixe seu comentário pelo Facebook