A primeira turma da pós-graduação (especialização) em Indústria 4.0 e Inteligência Artificial  contou com uma atividade de imersão para o encerramento das aulas do curso. Isso aconteceu no último final de semana – de 26 a 28 de novembro, no Hotel 13 Linden, em Treze Tílias. O professor Marconi Januário, coordenador da Pós-graduação, nos contou, entre os detalhes da atividade, que a maioria dos 19 alunos presentes são egressos dos cursos das Engenharias da Unoesc, o que reforça a qualidade dos cursos oferecidos pela Instituição.

Na noite de sexta (26) e na manhã do sábado (27), o professor Ricardo Antonello finalizou o componente curricular Visão Computacional. Ainda pela manhã de sábado, o professor Lucas Rizzo, da Technological University Dublin, da Irlanda, apresentou seu trabalho intitulado Uma introdução a argumentação computacional e seu potencial para aumentar a aplicabilidade de algoritmos de aprendizado de máquina. A tarde de sábado começou com o componente curricular Inteligência Artificial Aplicada, com o professor Marconi Januário.

 

Na disciplina de Inteligência Artificial Aplicada foram realizadas palestras. Algumas palestras contaram com participação de profissionais que são egressos da Unoesc, os quais vieram nos mostrar aplicações de assuntos tratados durante o curso.

 

 

No sábado à tarde, os pós-graduandos tiveram uma palestra com os engenheiros Marcos Angelo Cemim e Luiz Carlos Sima, o qual é egresso do curso de Engenharia de Produção Mecânica da Unoesc. Os palestrantes trabalham na TERMICA Solutions, de Joinville, e são representantes da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII). Eles trouxeram para a palestra com o tema: IA para melhorar a eficiência de um sistema de geração de energia e controle de emissões. Durante a explanação, eles mostraram como se dá o uso da Inteligência Artificial (IA) aplicada à indústria para o controle de emissões de gases.

 

 

No domingo, outro egresso, Everton Spuldaro, falou sobre Visão Computacional e Inteligência Artificial Aplicados na Inspeção de Qualidade na Indústria. O palestrante é também egresso do curso de Engenharia de Produção Mecânica da Unoesc. Após terminar sua graduação, Everton fez mestrado no ITA (Instituto de Tecnologia Aeronáutica). Hoje trabalha na Autaza, onde o palestrante e seus colegas de trabalho desenvolvem equipamentos que por meio de visão computacional e de simulações identificam e evitam falhas em pinturas de veículos. A empresa fornece produtos/soluções para montadoras nacionais e estrangeiras e para empresas de outros setores.

 

 

 

 

A última palestra ficou por conta de Renato Haddad, o qual explanou sobre Framework ML.NET, da Microsoft, que pode ser utilizada para desenvolver soluções, como por exemplo, predição de preço de produtos e também em Business Intelligence (Inteligência de Negócios).

 

 

 

 

O professor Marconi conta que os trabalhos com a Indústria 4.0 e com a Inteligência Artificial, em si, começaram a partir de conversas dele com outros professores a respeito da necessidade de se formar profissionais nesta área. Eles chegaram a esta conclusão observando demandas das indústrias da região e do mercado mundial. O professor se diz encantado com os rumos que o curso de Pós-graduação vem tomando. Empolga-se ao relatar como nota a emoção e satisfação dos pós-graduandos em algumas aulas práticas, como é o caso da Internet das Coisas (IoT).

 

Eu me sinto realizado, mas não acomodado, porque percebo que nós professores das engenharias, bem como, de toda a Unoesc, estamos auxiliando na mudança e na transformação da nossa comunidade. Temos apoio de nossos dirigentes para que possamos nos capacitar e pensar em soluções que fomentem a qualificação dos profissionais da comunidade. Hoje vemos que estas iniciativas estão se tornando referência nacional. Isso nos faz feliz porque nós não precisamos estar em um grande centro, podemos oferecer isso aqui mesmo de Joaçaba.

 

Marconi finaliza entendendo que os egressos querem voltar para a Unoesc porque têm confiança na qualidade do corpo técnico, nos professores, conhece os laboratórios e sabe o que isso pode trazer para a sua formação profissional. Reconhece que estes detalhes são diferenciais para a sua formação profissional continuada.