Desde o mês passado estamos falando em pesquisa aqui no Blog da Unoesc. Dedicamo-nos a este tema porque é um dos pilares que constroem a universidade, juntamente com o ensino e a extensão. Se formos refletir sobre o significado desta palavra, veremos que advém dela a investigação, a indagação e a descoberta do conhecimento científico.

Inicialmente, relatamos o que houve no II Circuito Regional de Pesquisa, evento promovido anualmente  pela Unoesc que congrega todos os programas de Pós-graduação, todas as bolsas de fomento, além de outros pesquisadores que encontram neste evento a oportunidade de debater o que vêm estudando. Depois disso, revelamos ser a pesquisa uma realização pessoal ou profissional, já que se trata da busca da resolução de um conflito que pode se dar nas diversas áreas do conhecimento. Falamos também sobre o mérito e reconhecimento alcançado por pesquisadores.

Hoje vamos apresentar como as discussões acontecem nos grupos de pesquisa, de que assuntos tratam e como se filiar a um deles, se for do seu interesse. A professora doutora Marilda Pasqual Schneider, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação, diz que é importante, inicialmente, entendermos a diferença entre grupos de estudo e grupos de pesquisa:

Grupos de estudo e grupos de pesquisa possuem finalidades distintas. Enquanto grupo de estudo pode ser constituído de forma informal, por um grupo de pessoas interessadas no debate ou aprofundamento de um determinado tema de seu interesse, o grupo de pesquisa tem um caráter mais formal e cumpre o propósito de realizar uma investigação considerando os cânones da área científica a que se vincula. Um grupo de pesquisa também pode desenvolver estudos aprofundados sobre o tema de investigação, o que significa que ele pode ser um grupo de estudos e pesquisas.

Cada grupo de pesquisa possui sua própria dinâmica de trabalho, em conformidade com a proposta de investigação e os interesses de seus membros.  Os grupos de pesquisa contribuem para o avanço do conhecimento em determinada área temática.  Para os programas de Pós-graduação, o grupo de pesquisa constitui um espaço importante de formação do pesquisador contribuindo para o desenvolvimento de habilidades, valores e atitudes necessários ao aperfeiçoamento acadêmico de mestrandos e doutorandos.

A professora Marilda acrescenta que, nos grupos de pesquisa podem participar docentes e discentes de graduação e pós-graduação, pesquisadores e colaboradores que desenvolvem investigações sobre uma das linhas de pesquisa do Grupo. Estes pesquisadores podem estar vinculados a outras instituições nacionais ou internacionais.

Grupos vinculados ao PPGEd

Cada grupo define um calendário de encontros, reuniões, sob responsabilidade do seu líder. Os temas que são debatidos estão relacionados a uma linha de pesquisa geral, a qual o grupo está vinculado. No Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd) existem seis grupos de registrados na Plataforma do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), dentro de duas linhas de pesquisa. À primeira, Educação, Políticas Públicas e Cidadania, pertencem os seguintes grupos: I – Educação, Políticas Públicas e Cidadania (GEPPeC); II – Estudos e Pesquisas em Políticas de Educação Superior (GEPPES – Unoesc/Sul); III – Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Avaliação Educacional e Accountability na América Latina; IV – Rede Ibero-americana de Pesquisas em Políticas e Processos de Educação Superior 

O objetivo destes trabalhos é investigar as políticas educacionais de formação e trabalho docente, de avaliação e regulação da educação escolar, de gestão educacional e outras que informam a ação do Estado e as transformações ocorridas no campo educacional em diferentes níveis, períodos e contextos sócio históricos. Abordam também a relação entre o Estado e a Sociedade, no que se refere à formulação de agendas públicas e ao desenvolvimento de propostas educativas, e repercussões na promoção da cidadania.

Já as pesquisas relacionadas à segunda linha de pesquisa geral, Processos Educativos, investigam os processos de ensino e aprendizagem, considerando as relações que se estabelecem entre diferentes perspectivas teóricas de ensino, aprendizagem e desenvolvimento e práticas pedagógicas que se processam em diferentes tempos e espaços educativos, níveis de escolarização e modalidades de educação. A ela estão relacionados os seguintes grupos: I – Formação Docente e Práticas de Ensino (GEFOPE) e II – Grupo de Estudos e Pesquisas em Filosofia e Educação (GEPeFE)

 Grupos de Pesquisa – PPGA

Podemos observar que, em muitos casos, os grupos de pesquisa servem como uma extensão das linhas de pesquisa do curso em si. Desta forma, cria-se este espaço para que se possa ampliar os conhecimentos acerca daquelas questões, estendendo o tempo de apreciação dos assuntos, desenvolvendo estudos complementares ao que se aprende em sala de aula. É o caso do Grupo de estudos Empreendedorismo, Empresas Familiares E Inovação cuja atuação do grupo busca fortalecer as linhas de pesquisa Sustentabilidade, Empreendedorismo e Inovação no Mestrado Profissional em Administração e Sustentabilidade, empreendedorismo e dinâmicas territoriais no Doutorado em Administração.

O grupo se constituiu este ano (2021), a partir da convergência de temáticas pesquisadas por professores dos referidos cursos, as quais apresentam entrelaçamentos e perspectivas de ampliação de estudos com vistas a contribuições científicas e significativas contribuições para o contexto local e o território no âmbito da capilaridade da UNOESC. São responsáveis pelo grupo os professores Doutores Fernando Fantoni Bencke (líder do grupo), Hilka Pelizza Vier Machado (vice-líder), Darlan José Roman, Sayonara de Fátima Teston, Ieda Margarete Oro e Fábio Lazzarotti. As pesquisas concentram-se nas temáticas:

  1. a)  Empreendedorismo: competências empreendedoras, comportamento empreendedor, liderança e paixão empreendedora. Criação, desenvolvimento e crescimento de diferentes tipos de empreendimentos. Diversidade e imigração. Oportunidades, ecossistemas empreendedores, internacionalização. Cultura e empreendedorismo. Abordagens empreendedoras.
  2. b)  Empresas familiares: sucessão familiar (nepotismo, conflitos familiares, altruísmo) e sucessão em diferentes perspectivas (propriedade, negócio e família. Envolvimento familiar, modelo dos três círculos, familiness, socioemotional wealth (SEW)e bem-estar. Gestão e estratégia na empresa familiar, recursos e capacidades. Heterogeneidade de empresas familiares, internacionalização, identidade, desempenho, ciclo de vida das empresas familiares e transição geracional. Governança corporativa, controles e propriedade. Influência dos empregados não familiares e cônjuges, objetivos econômicos e não econômicos, Família e sociedade: aspectos ambientais, políticos e sociais, empresas familiares e inovação, empreendedorismo nas empresas familiares.
  3. c)   Inovação: ecossistemas e sistemas regionais de inovação. Estratégias de inovação, inovação e desenvolvimento territorial. Ambientes de inovação, empresas de base tecnológica, modelo tríplice hélice de inovação, gestão da inovação, inovação social, inovação e sustentabilidade.
  4. d)   Liderança: dimensões societal, organizacional e individual da liderança. Relações de liderança com inovação, relações de poder, legitimação, gestão, identidade, gênero, liderança e organizações privadas, públicas e do terceiro setor, indústria 4.0, e liderança e sustentabilidade.

O grupo se encontra mensalmente, nas sexta-feira pela manhã, conforme cronograma definido no início do ano, para discutir temáticas, pesquisas e atividades referentes às linhas de atuação. Interessados podem entrar em contato pelo e-mail: pesquisa.grp60@unoesc.edu.br

Por sua vez, o grupo Sustentabilidade e Agronegócio, constituído 11 pesquisadores vinculados a Unoesc ou a outras IES, estuda organizações e instituições, públicas ou privadas, com vistas ao desenvolvimento sustentável e sustentado. Assim analisa as estruturas, configurações, e estratégias adotadas pelas organizações para ingresso, permanência e consolidação no mercado. Desenvolve pesquisas sobre a sustentabilidade e potenciais de competitividade do agronegócio, compreendendo todos os elos da cadeia produtiva, e suas relações e sinergias com outras atividades econômicas que, de forma direta ou indireta, sejam stakeholders ou players do segmento. O Desenvolvimento Regional Sustentável é um dos objetivos do grupo, notadamente quando se trata de pesquisa aplicada. São cinco as linhas de pesquisa do grupo:

1 – Ambientes Inteligentes  – preocupa-se em entender como as operações e relacionamentos organizacionais são afetados pela ubiquidade das tecnologias da informação e comunicação. Estuda a incorporação de tecnologias de informação e comunicação em máquinas, equipamentos e sensores para uso em sistemas de produção industriais e agrícolas, em cidades e territórios, e em outros ambientes sociotécnicos.

2 – Competitividade do Agronegócio envolve estudos relacionados aos fatores de competitividade e de sustentabilidade do agronegócio. Investiga as dinâmicas de mercado, as características das estruturas produtivas e as tecnologias empregadas à competitividade, compreendendo os estudos dos sistemas produtivos do agronegócio, das cadeias produtivas agroindustriais, a gestão de empreendimentos e à agricultura familiar.

3 – Desenvolvimento e Territórios Regionais envolve estudos sobre dinâmicas socioespaciais regionais de municípios de diferentes portes, rede de cidades e sistema viário e desenvolvimento; movimentos sociodemográficos e suas implicações intrarregionais; planejamento e gestão urbana; aplicação de políticas públicas e comportamento de atividades econômicas urbanas em cidades médias e medianas. avaliação das dinâmicas, vocações e viabilidades de atividades econômicas municipais e intrarregionais.

4- Economia Circular e Sustentabilidade – Pesquisa práticas sustentáveis, ferramentas, metodologias e indicadores de sustentabilidade, e como internalizar a sustentabilidade e a economia circular nas organizações. Ênfase em estudos que abordam barreiras, inibidores, apoiadores, facilitadores e benefícios da adoção de práticas sustentáveis e princípios de economia circular em cadeias produtivas e organizações industriais, prestadores de serviços e entidades que suportam de forma direta ou indireta os players do agronegócio brasileiro.

5 – Redes e Sustentabilidade, liderado pelo Dr. Silvio Santos Junior, e tem como vice-líder a Dra. Simone Sehnem.  estuda as relações organizacionais intraorganizacionais e Inter organizacionais e as dimensões da sustentabilidade: econômica, ambiental e social. Compreende o estudo da natureza e da configuração dos arranjos associativos (APLs, cadeias produtivas, associações, consórcios, entre outros), com vistas a identificar atores, institucionalidades e formas de articulação. Aborda temas relacionados às dinâmicas territoriais.

O grupo se reúne periodicamente, de acordo com cronograma divulgado em cada início ano para discutir e receber sugestões de melhorias em Artigos (científicos ou tecnológicos), Dissertações, Teses, ou  trabalhos de Iniciação Científica; compartilhar métodos, estratégias de investigação; realizar oficinas de capacitação em atividades que contribuam para aprimoramento de competências dos membros. Interessados em participar do grupo, entre em contato pelo e-mail pesquisa.grp20@unoesc.edu.br

O grupo de pesquisa Estratégia e Competitividade, liderado pelo Dr. Eduardo Kunzel Teixeira, tendo como vice-líder Dr. Juliano Danilo Spuldaro, é formado principalmente pelos professores dos programas de mestrado e doutorado em administração da Unoesc Chapecó. Outras pessoas de dentro e fora da academia podem participar. Temas específicos ficam por conta da proposta de cada professor ao grupo amplo. O grupo se reúne em aproximadamente 9 oportunidades durante o ano, em encontros de 3 horas. Interessados em participar do grupo, entrar em contato pelo e-mail pesquisa.grp41@unoesc.edu.br

 

Grupos de Pesquisa – Mestrado em Sanidade e Produção Animal

Participam dos grupos de pesquisa professores pesquisadores vinculados ao Mestrado em Sanidade e Produção Animal; professores vinculados ao curso de Graduação em Medicina Veterinária e Zootecnia; alunos do Programa de Mestrado em Sanidade e Produção Animal, Alunos vinculados à Graduação em Medicina Veterinária ou áreas afins.

Os membros dos grupos se reúnem, eventualmente, para discussão e elaboração de projetos mais amplos, para submissão junto aos órgãos de fomento.  Tem-se planejado a criação de grupos de estudo dentro dos grupos de pesquisa, a fim de promover maior interação entre os professores e alunos, incluindo acadêmicos da graduação. Nestes serão apresentados e discutidas atualizações em temas de interesse dos participantes. Atualmente se reúnem, de forma eventual, para planejar e discutir projetos de pesquisa macro, nos quais é possível envolver pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento.

Atualmente, o Programa de Pós-graduação divide-se em dois grupos de pesquisa: Sanidade Animal, liberado pela professora Lilian Kolling Girardini e  Produção Animal, liderado pelo professor Claiton André Zotti

O primeiro objetiva o estudo, diagnóstico, controle e prevenção das principais enfermidades que acometem aves, suínos e ruminantes, além de doenças emergentes e reemergentes, bem como seus impactos na cadeia produtiva regional onde o programa está inserido.  Para tanto, foca na identificação e caracterização dos principais agentes patogênicos por meio de técnicas imunológicas, microbiológicas, parasitológicas, moleculares e de diagnóstico patológico. Atua igualmente na pesquisa de agentes resistentes aos antimicrobianos, bem como estruturar projetos inovadores buscando alternativas para a redução na utilização dos mesmos na produção animal, a partir de parcerias com iniciativa privada e com foco na inovação. Já o segundo grupo estuda reprodução e genética animal cada vez mais se tornam importantes em função de novos desafios a que os animais são submetidos para atender a demanda de produção animal.

O intuito dos grupos de pesquisa é compartilhar e debater ideias, além de desenvolver trabalhos em torno de linhas comuns de pesquisa e envolver-se profissionalmente com a atividade de pesquisa. Neste sentido, é fundamental a atuação ativa dos grupos de pesquisa nos PPGs, buscando o intercâmbio de conhecimento a fim de fortalecer as atividades de pesquisa desenvolvidas.