Ficamos curiosos em entender como a pesquisa acontece na vida de quem se dedica a ela. Depois das informações que disponibilizamos na última publicação, procuramos a professora Doutora Ieda Margarete Oro, coordenadora do Programa de Pós-graduação em Administração (Unoesc Chapecó). Ela nos relatou, então, que quando se planeja uma pesquisa, o tema surge pelas características organizacionais ou do contexto ambiental. A observação empírica dos ambientes de trabalho evidencia novos estudos.

 

O que me motiva a pesquisar é a curiosidade para desenvolver novos temas, cujos resultados de outros estudos, ainda se apresentam inconclusivos. Toda pesquisa precisa de um propósito, suporte teórico, e método adequado ao tipo de pesquisa que se quer desenvolver. Responder ao Como e Por Que algo acontece, nos ajuda a refletir e buscar respostas para o andamento da pesquisa.

 

 

Ieda dedica a sua pesquisa pessoal à Contabilidade Gerencial, Controladoria e Finanças. Ela busca a interface entre o seu campo de pesquisa com a área de concentração do curso que coordena, o que envolve Sustentabilidade, empreendedorismo e dinâmicas territoriais, além de Estratégia e Competitividade.

 

 

Recentemente, a professora foi citada no relatório da Alper-Doger Sxientific Index, que leva em consideração o desempenho científico e o valor agregado da produtividade científica dos pesquisadores e das instituições nas quais estiveram afiliados, nos últimos cinco anos. Junto com ela, foram citados outros doze professores da Unoesc: Carlos Eduardo Carvalho; Darlan Jose Roman; Eduardo Kunzel Teixeira; Elcio Luiz Bonamigo; Eliane Salete Filippim; Hilka Pelizza Vier Machado; Marilda Pasqual Schneider; Mauricio Vicente Alves; Petrick Anderson Soares; Rudy José Nodari Júnior; Sabrina Do Nascimento e Simone Sehnem.

 

Os resultados de uma pesquisa se medem por meio de um processo de sistematização dos dados. Estes são trabalhados e sumarizados por ferramentas ou softwares. A reflexão nos “achados da pesquisa” serão para avaliar qual a contribuição que aquele estudo possui para o tema e para o avanço da ciência.

 

Ieda conta que passou a se considerar pesquisadora a partir do Mestrado e Doutorado, o que ocorreu, há 15 anos, na Universidade de Blumenau (FURB). Esta escolha ficou ainda mais evidente a partir do momento em que passou a se dedicar ao Programa de Pós-graduação em Administração (PPGA) da Unoesc, em Chapecó, onde coordena os cursos de Mestrado e Doutorado.

 

Durante o Mestrado, nossos professores instigavam e incentivavam a pesquisa e a produção científica.

 

O incentivo é, sem dúvida, fator determinante para essa escolha. Por esse motivo, os programas de Pós-graduação incentivam a publicação. Sendo pesquisadores, a professora conta que podem contar com horas específicas para o desenvolvimento de suas pesquisas previstas na carga horária semanal. Quanto ao programa que coordena, ela destaca um corpo docente qualificado, grupos de pesquisas cujos trabalhos técnico-científicos com organizações públicas e privadas geram impacto, mantendo o foco na inovação e soluções de problemas.

 

 

O investimento realizado pela Unoesc nos últimos anos decorre de ações do Planejamento Institucional para melhorar a visibilidade e o impacto dos programas para os Egressos e para a  Sociedade.

 

 

Divulgação científica

 

 

Há um mito sobre a falta de espaço para divulgação científica. Na verdade, estas críticas estão direcionadas às publicações da mídia tradicional, que se pautam tradicionalmente por conteúdos oferecidos pelas assessorias de imprensa. Mas, além de haver sim uma mídia especializada em questões científicas, a internet hoje dá conta desta divulgação.

 

Atualmente, em qualquer lugar com acesso à internet, podemos acessar a literatura, aprofundar nossas leituras e desenvolver insights para novas pesquisas.

 

A professora Ieda Oro nos conta que tanto a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal Nível Superior (Capes) ou a Scientific Periodicals Eletronic Library (Spell) permitem visualizar e buscar publicações científicas para temas diversos, de forma gratuita. São ferramentas utilizadas para que se possa saber o que já se está pesquisando a respeito dos temas, fortalecendo a troca de conhecimentos entre os pesquisadores e melhorando a divulgação científica.