Megatendências, Perspectivas e Desafios na Formação Profissional. Temas mais que atuais, em tempos de mudanças de paradigmas. Sim, o modelo de trabalho que conhecemos antes da pandemia já não existe mais. Menos de dois anos e muita coisa mudou. Passamos a pensar de forma diferente questões que antes estavam consolidadas, como o formato de trabalho, as áreas de atuação, a forma como o mercado se movimenta e se comporta. Até mesmo outras profissões surgiram desta demanda. Novas possibilidades, novos padrões. É de ficar tonto – tudo isso acontecendo, com o mundo se transformando e a gente dentro deste carrossel…

Pois debater essas mudanças é o objetivo do II Circuito Regional de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento, que traz essas e outras interrogações para o centro dos debates. O evento começou na segunda-feira (04) e termina hoje (08), sendo oferecido de forma remota – como quase tudo neste tempo em que ainda vivemos a pandemia.  Para entendermos mais sobre o universo da pesquisa acadêmica, inserida neste evento, conversamos com o professor Cesar Milton Baratto, da Unoesc Videira, que é um dos coordenadores do Circuito e também coordenador institucional do PIBITI e do PIBIC. Ele convida a quem puder acompanhar o encerramento do evento:

 

É um espaço para se debater esses novos desafios que afetam diretamente toda a População – do empregado ao empregador, passando pela universidade. Se você não pôde acompanhar o evento até aqui, participe do encerramento, hoje (08), às 19h.

 

As atividades que aconteceram no Circuito Regional, incluindo os vídeos e as palestras de encerramento estarão disponíveis nos Cadernos de Programação do Evento.

 

Pesquisas de Iniciação Científica

Pesquisa é curiosidade. Pesquisa é também um prazer estudantil, uma vocação profissional que pode trazer soluções práticas para questões cotidianas. E são desenvolvidas nas mais diferentes áreas das ciências: Sociais, Jurídicas, Educação, Vida e Saúde, Agrárias, Exatas e Tecnológicas.

Para que as pesquisas possam ocorrer da melhor forma, com o tempo que lhe cabe e as condições de estudo, o pesquisador pode contar com o apoio de instituições de fomento governamentais, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, o CNPq oferece as bolsas de estudo do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI). O governo do Estado de Santa Catarina também oferece bolsas. Por intermédio do Fundo de Apoio à Manutenção e ao Desenvolvimento da Educação Superior (Fumdes), as bolsas estão previstas nos artigos 170 e 171 da Constituição Estadual. Baratto aponta que as pesquisas vão ainda mais longe que as linhas do projeto, vão ao encontro de soluções para questões locais:

 

 

 

 

A possibilidade de alunos desenvolverem projetos de pesquisa e ampliar seu conhecimento, se qualificando para continuar seus estudos, esses são apenas parte dos ganhos, pois como nossas pesquisas desenvolvidas possuem um direcionamento para resolver os problemas da comunidade, a pesquisa contribui para o desenvolvimento da localidade, gerando melhorias sociais, econômicas e de saúde.

 

 

 

 

 

Esse é o verdadeiro sentido de se desenvolverem pesquisas científicas. A ciência legitima a busca por soluções, ou até mesmo a curiosidade a respeito de um assunto que pode não parecer prático, mas que, no campo das ideias elucida problemáticas também intelectuais e culturais do nosso tempo. Dentro do escopo dos trabalhos apresentados e debatidos no II Circuito Regional, tiveram como objetivo resolver problemas locais, trazendo respostas a anseios recorrentes da nossa população, especialmente nos municípios da nossa região.

 

 

Os temas das pesquisas estão inseridos no contexto social e econômico da região, dessa forma, os resultados obtidos apresentam uma aplicabilidade e potencialidade para gerar o desenvolvimento regional. Ao mesmo tempo, com potencialidade de replicação e aplicação em outras regiões do país.

Cesar Baratto destaca ainda que muitas pesquisas são consideradas de ponta, com utilização de equipamentos e ferramentas com grande potencial tecnológico, a maioria desenvolvida na Unoesc, outras por demandas, induzidas por empresas, propriedades rurais, agroindústrias e setor produtivo, a partir de parcerias do setor industrial. A parceria com a Universidade possibilita maior produtividade e competitividade, gerando mais empregos e o desenvolvimento sócio-econômico da região.

 

Destaques desta mostra acadêmica

Quando falamos em destaques, não estamos querendo diminuir os trabalhos que não estão nesta lista. Mas, pelo contrário, precisamos falar que os examinadores externos ficaram bastante satisfeitos com os temas que foram trazidos e com as demandas atendidas pelas pesquisas que estão em desenvolvimento – ou que já foram concluídas. Mas não podemos falar de cada um em um espaço de apenas uma publicação.

Na área da Saúde, podemos destacar a pesquisa da Natália Godoy Guzatti, Desmame e enxtubação em pacientes com Covid-19 ventilados mecanicamente, que demonstrou maior incidência de falhas do processo nesses pacientes. Na mesma área, a pesquisa da Shara Sakira Becker Kessler, Avaliação da qualidade microbiológica e físico-química das águas de poços do interior de São Miguel do Oeste – SC, que verificou a alta incidência de contaminações, especialmente por microrganismos, que podem acarretar sérios problemas à saúde.

Na área de Desenvolvimento de Novos Produtos e Inovação, o trabalho da Rafaela Ansiliero, Potencial utilização de extratos hidroalcóolicos de própolis de abelha (Tetragonisca angustula) e Calendula officinalis na produção de enxaguante bucal com ação antimicrobiana, está finalizando um novo enxaguante bucal a partir de produtos naturais que será capaz de diminuir bactérias causadoras de periodontites.

Por fim, na área da Educação, a pesquisa da bolsista Ana Lais Miotto, O bullying e outras formas de violência na escola: análise de ações de prevenção e enfrentamento, pontuou vários aspectos a serem considerados parâmetros na prevenção e enfrentamento das situações de bullying.