Na sexta-feira, 23 de julho, iniciaram-se os Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão. As competições deveriam ter acontecido em 2020, mantendo-se o tradicional intervalo de quatro anos entre cada edição. Porém, a pandemia do Novo Coronavírus fez acontecer um fato inédito em toda a História dos Jogos: a competição teve que ser adiada. Em virtude disso, estamos assistindo-as em 2021. O encerramento desta edição acontece domingo, 08 de agosto. Considerando se tratar de um momento épico para o esporte mundial, fomos em busca de outras curiosidades, além de o fato desse adiamento. Você sabia, por exemplo, que os únicos países que participaram de todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna foram Grécia, Grã-Bretanha, Suíça, França e Austrália?

 

 

TÓQUIO

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, 2020, o número se repetiu, incluindo o Comitê Olímpico Russo e a Equipe de Atletas Refugiados.

A Rússia foi punida e não deveria participar das Olimpíadas de Tóquio. Escândalos evidenciados em 2019 envolvem autoridades do governo de Vladimir Putin e o doping sistemático de atletas. Porém, eles estão participando das competições com o nome de Comitê Olímpico Russo. A punição deve incluir ainda competições como os Jogos de Inverno e a Copa do Mundo de Futebol.

A primeira vez que a Equipe de Refugiados participou dos Jogos Olímpicos foi no Rio de Janeiro (2016), onde com12 atletas, forçados a deixar os seus países por causa de guerras, violação dos Direitos Humanos ou mesmo por perseguições. Este ano, a equipe se ampliou, e são 35 atletas, representando mais de 26 milhões de refugiados em todo mundo. Eles participam nas modalidades de atletismo, ciclismo, luta livre, karatê, boxe, judô, canoagem, levantamento de peso, taekwondo, natação e badmington. Esse número envolve atletas e paratletas.

 

 

 

SOBRE OS JOGOS

A delegação da Grécia é sempre a primeira a desfilar na abertura dos Jogos Olímpicos. Depois deles, os representantes do país-sede e logo após todos os outros países, em ordem alfabética. A prioridade aos gregos é uma forma de homenagear o local-sede dos primeiros jogos da Era Moderna, Atenas (1896).

Para a segunda edição do evento, em Paris (1900), o francês Henri Didon criou o lema das Olimpíadas, “Citius, Altius, Fortius” (mais rápido, mais alto, mais forte), que continua sendo usado até hoje.

Modalidades que já fizeram parte das Olimpíadas: Doze Horas de Ciclismo (1896), Levantamento de peso com apenas uma mão (1896 a 1904), Cabo de Guerra (1900 a 1920), Tiro ao pombo (1920), Voo livre de planador (1936), Jogo da Palma (1908), Motonáutica (1908) e arremesso de dardo e disco com as duas mãos (1912).

– A bandeira olímpica, com cinco arcos representando os continentes, foi elaborada por Pierre de Coubertin, em 1913. Ela foi hasteada pela primeira vez nos Jogos Olímpicos da Antuérpia, em 1920.

 

 

BRASIL

A primeira vez que o Brasil teve representantes nas Olimpíadas foi em 1920, na Antuérpia, Bélgica. Foram 21 atletas competindo em cinco modalidades:  natação, polo aquático, remo, saltos ornamentais e tiro esportivo.

Guilherme Paraense, tenente do Exército, foi o responsável pela conquista do primeiro ouro olímpico, no tiro rápido (25 m) individual. Afrânio Antônio da Costa, que tinha fama de bom atirador, conseguiu a prata na pistola livre (50 m) individual. Na mesma prova, só que por equipes, os dois ganharam o bronze junto com Sebastião Wolf, Fernando Soledade e Dario Barbosa.

O iatista Robert Scheidt conquistou cinco medalhas olímpicas para o Brasil: ouro em Atlanta (1996) e Atenas (2004), uma prata em Sidney (2000), na classe laser; prata em Pequim (2008), na classe Star, modalidade a qual conquistou a medalha de bronze, em Londres (2012).

Outro iatista, Torben Grael, empata com Scheidt no topo do quadro de medalhas já conquistadas pelo Brasil em Jogos Olímpicos: Medalha de Ouro em Atlanta (1996) e Atenas (2004), na classe Star; medalha de Prata em Los Angeles (1984), na classe Soling, e mais duas medalhas de Bronze, em Seul (1988) e Sidney (2000), também na classe Star.

As Olimpíadas de Los Angeles (1932) foram marcadas pela participação da nadadora Maria Lenk, a primeira mulher sul-americana – e brasileira – a participar dos Jogos Olímpicos. O fato histórico ocorreu nas Olimpíadas de Los Angeles de 1932. Com apenas 17 anos, Maria Lenk competiu nas provas de 100 metros livres e 200 metros peito.

A primeira medalha de ouro feminina foi para Jackie Silva e Sandra Pires (vôlei de praia), em Atlanta (1996). Nas modalidades individuais, Maurren Maggi (atletismo) conquistou o primeiro ouro e Ketleyn Quadros (judô), o primeiro bronze olímpico. As duas foram premiadas em Pequim (2008).

 

 

 

RECORDES

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, marcaram a primeira edição desse evento em território sul-americano. Outro número importante daquela edição foi o recorde no número de países participantes. Foram 206.

O nadador norte-americano Michael Phelps foi o atleta que ganhou o maior número de medalhas olímpicas. Foram 28 ao todo: 6 ouros (100 m e 200 m borboleta, 200 m e 400 m medley, 4×200 m livre e 4×100 m medley) e 2 bronzes (200 m livre e 4×100 m livre) em Atenas (2004); 8 ouros em Pequim, 2008 (200 m livre, 100 m e 200 m borboleta, 200 m medley e 400 m medley, 4×100 m e 4×200 m livre e 4×100 m medley). Nas Olimpíadas de Londres (2012) foram mais  4 ouros (100 m borboleta, 200 m medley, 4×200 m livre e 4×100 m medley) e 2 pratas (200 m borboleta e 4x100m livre). E finalmente, no Rio de Janeiro (2016), a conta fecha com outras 5 ouros (200 m borboleta, 200 m medley, 4×100 m e 4×200 m livre e 4×100 m medley) e 1 prata (100 m borboleta).

 

 

 

MARATONA DESCALÇO

O etíope Abebe Bikila não só percorreu todos os 42 km da Maratona dos Jogos de Roma (1960) descalço como também a venceu. O fato se deu porque ele não se sentiu à vontade com os tênis que o então patrocinador daquela edição lhe ofereceu e preferiu correr descalço, como havia treinado em seu país. Ele se tornou o primeiro africano a faturar o ouro na história dos Jogos.

 

 

 

ATLETAS PELADOS

Nos dias de hoje, vimos a repercussão nas mídias a respeito do traje correto para a prática das diversas modalidades. Há críticas quanto ao uso de roupas que expõem muito o corpo da mulher, há materiais desenvolvidos especialmente para as roupas usadas em modalidades na água, e outras curiosidades. Mas você sabia que, na Grécia antiga os atletas competiam de tanga ou até mesmo pelados?

O primeiro atleta a disputar uma prova sem roupas foi o corredor Orsippus. Depois dele, outros aderiram a ideia, com alguns se banhando em óleo para mostrar ainda melhor o porte físico.