Puxando pela memória, podemos encontrar aquela música que nos acompanhou na infância, aquela que cantávamos a plenos pulmões, sob os aplausos da plateia formada por familiares, principalmente, e também podiam ser inclusos os vizinhos. Depois disso, a música que contou a nossa história de amor – compartilhado ou solitário. E ainda se pode pensar no som que ajudou tantas vezes a memorizar a matéria que seria estudada para as provas e concursos. E tantas outras canções que nos embalam a vida.

 

A música auxilia no desenvolvimento linguístico, na inteligência, capacidade de expressão e motricidade. Ainda, através do ritmo, melodia e o timbre, a música facilita o desenvolvimento intra e interpessoal, desenvolvendo suas competências sociais.

 

Quem nos fala estas palavras é a professora Adriana Sernajoto, coordenadora do curso de Licenciatura em Música, oferecido pela Unoesc Capinzal. Segundo ela, a música deve ser ensinada a partir da infância, auxiliando, assim, todo o processo da construção do ensino-aprendizagem e na formação intelectual e social deste cidadão.

 

Estudos têm comprovado que as experiências dos primeiros anos de vida são cruciais para o desenvolvimento intelectual e afetivo do ser humano. É uma fase indiscutivelmente muito importante para o desenvolvimento de competências que embasarão o desenvolvimento, ou seja, as primeiras experiências de aprendizagem ficam para a vida.

 

Assim, chamamos de musicalização o conjunto de atividades que visa à sensibilização, e que busca ampliar os conhecimentos musicais da criança. Isso contribuirá fortemente para a socialização, alfabetização, inteligência, capacidade inventiva, expressividade, coordenação motora e tato fino, percepção sonora, percepção espacial, raciocínio lógico e matemático e estética.

 

Crianças que crescem em ambientes ricos em estímulos de qualidade levam o cérebro a se desenvolver mais rapidamente. Já é comprovado cientificamente que a música é um importante estímulo, que pode inclusive produzir mudanças na estrutura cerebral, todavia para que realmente a música gere tais mudanças faz-se necessário que ela vivencie brincadeiras específicas à faixa etária, além de um espaço e materiais didáticos apropriados.

 

Música nas escolas

 

Em 2008, foi publicada a Lei nº 11.769, que altera a Lei nº 9.394  (Lei de Diretrizes e Bases), incluindo a obrigatoriedade do ensino da Música na Educação Básica em todo o território nacional, nas escolas públicas e privadas. A legislação vigente permite, neste mesmo componente curricular, a oferta da linguagem plástica ou cênica. Com isso, possibilita-se o desenvolvimento das habilidades, a sensibilização, a imaginação e a criatividade desde as primeiras fases da educação formal.

 

 

 

Licenciatura em Música

 

Este avanço levou à busca por cursos de Licenciatura que pudessem habilitar professores preocupados com a transformação social destas crianças e jovens. Nesse sentido, a Licenciatura em Música, oferecida pela Unoesc Capinzal objetiva atender à necessidade de formação de profissionais para a educação básica. Pensando o aluno como um ser cheio de sentimentos e movido pelos sons existentes no seu cotidiano, considera-se uma área essencial para a formação do ser humano.

 

O ensino da música é evidenciado a partir de um processo histórico, onde o acadêmico toma contato com os grandes compositores da história musical brasileira, podendo, desta forma, entender as transformações que partiram daquele momento para a contemporaneidade, as influências musicais, sociais e humanas que estão envolvidas neste entendimento.

 

Estudando os grandes músicos e suas obras, o acadêmico poderá problematizar e investigar as relações com a vida contemporânea e dessa forma construir o seu conhecimento, entendendo a produção musical existente, conectada aos processos socio-históricos que os produzem.

A música propõe mais que o ensino do canto ou de um instrumento musical, ela traz a oportunidade de desenvolver a cidadania cultural, visando valorização do patrimônio musical do país, possibilitando transformações individuais e sociais.