Desde o início da pandemia provocada pelo novo Coronavírus, (março 2020, no Brasil), passamos a ter contato com algumas profissões da saúde, que não tínhamos tanto conhecimento, pois não atuam diretamente no tratamento a pacientes. É o caso da Biomedicina, cujos profissionais vêm se destacando no diagnóstico laboratorial de casos suspeitos de infecção viral. Sua função é usar o conhecimento para garantir que vidas sejam salvas, pois podem ser os responsáveis técnicos pelas informações laboratoriais, que afirmam se o paciente está infectado, já desenvolveu a doença, ou teve contato com o vírus. Estas etapas são fundamentais para o tratamento e monitoramento médico.

Para conhecer mais sobre esta profissão, conversamos com o professor Cristian Alex Dalla Vecchia, coordenador do curso de Graduação em Biomedicina, oferecido pela Unoesc Xaxim e com a professora Mônica Raquel Sbeghen biomédica e docente no curso. Eles nos lembram que a sequência do genoma do Coronovírus foi mapeada por uma biomédica brasileira, a Drª Jaqueline Goes.

 

O biomédico também pode atuar na área laboratorial, em equipes cirúrgicas como perfusionista, na gestão em serviços de saúde, na imagenologia e no controle de qualidade, sendo deste modo, um profissional indispensável na pandemia.

 

De acordo com o professor Dalla Vechia, é um profissional essencial para o enfrentamento do Novo Coronavírus por atuar tanto na identificação quanto na pesquisa clínica, fundamental para o entendimento da doença. Assim como esclarecer sobre as medidas de prevenção e enfrentamento, que devem ser adotadas pela sociedade:

 

 

 

O profissional biomédico é laboratorista por excelência. Por isso, as testagens sejam elas moleculares (RT-PCR) ou sorológicas (confirmando a presença de anticorpos), tornaram-se essenciais no monitoramento da evolução da disseminação viral e para confirmação dos casos de infecção pelo novo coronavírus.

 

Os testes RT-PCR e POCT-PCR são feitos a partir de uma coleta de amostra biológica realizada com um swab, semelhante a um cotonete, e utilizam dos conhecimentos da área da Biologia Molecular.  Outra opção são os exames sorológicos, através da coleta de sangue. Todos eles podem ser laudados por Biomédicos (as).  A professora Mônica conta que estes profissionais estão atuando de modo direto ou indireto com a COVID-19, como gestores de qualidade ou como responsáveis técnicos, envolvidos com biossegurança, afim de garantir condições seguras de trabalho a todos os profissionais envolvidos.

 

O trabalho do (a) Biomédico (a) não se restringe à pandemia. Ele (a) também atua na saúde pública, vigilância sanitária e programas governamentais de saneamento para erradicação de doenças. E claro, pode se dedicar inclusive à pesquisa, em busca de vacinas e tratamentos eficazes, imagens para o diagnóstico, que em muitos casos tornam-se importantes para auxiliar nas decisões da equipe médica qual estratégia tomar para salvar vidas.

 

A Graduação em Biomedicina pode ser concluída em oito fases (quatro anos), onde o (a) futuro (a) Biomédico (a) vai estudar a Anatomia Humana, Bioquímica, Biofísica, Epidemiologia, Genética, Hematologia e outras disciplinas que o auxiliarão na hora de definir a sua área de atuação. Desde o início, o acadêmico terá contato com atividades práticas e uma infraestrutura completa, contando com laboratórios e equipamentos que o farão entender melhor a profissão que escolheram, assim como, assumir o compromisso de uma profissão que acima de tudo, busca a melhora na qualidade de vida do paciente.