Inovar é preciso. Mantemos o dedo nesta tecla. Ficamos curiosos por saber como as pessoas inovadoras fazem para colocar as suas ideias em prática. Falamos da inauguração do Centro de Inovação do Vale do Rio do Peixe – INOVALE, em Joaçaba, mas ainda queríamos entender como é a primeira fase, antes das ideias chegarem até lá. Então fomos conversar com o Rafael Patzlaff, da Odeme.

 

 

Quando eu estava prestes a me formar em Engenharia de Produção Mecânica, na Unoesc Joaçaba, pensei em montar uma empresa para auxiliar pesquisadores da área odontológica.

 

Uma ideia na cabeça e muitas dúvidas. O que se faz com isso? Busca-se apoio. E foi o que Rafael fez. Buscou agência de fomento, a própria universidade lhe proporcionou pré-incubar o que ainda era um projeto, uma ideia inovadora. Foram cinco anos para que se transformasse em negócio.

 

Para o desenvolvimento das minhas ideias, recebi o apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) que financiou as pesquisas. Nas fases iniciais para elaboração do plano de negócios e abertura da empresa, recebi o apoio da UNOESC através da pré-incubadora de empresas.

 

 

A Unoesc sempre se preocupou em abrigar estas ideias. Ao longo dos anos, enquanto a INOVALE estava sendo pensada e preparada, a universidade tratou de acolher as inovações vindas das pesquisas científicas dos seus alunos com potencial de se tornarem empreendedores. A professora Jéssica Romeiro Mota, coordenadora da Agência de Inovação e Relação Institucional da Unoesc (AGIR), orienta aqueles que querem seguir o mesmo caminho do Rafael:

 

 

Nós publicamos editais da pré-incubadora normalmente no início do ano, ou no início de cada semestre. Já tivemos modelos de pré-incubação anual. Este ano nós fizemos um modelo semestral, em parceria com a FAPESC, o Programa Nascer. No momento, a pré-incubadora é feita por edital, mas se alguém tiver interesse, pode nos procurar pelo telefone (49) 3551-2096 ou mandar e-mail para agir@unoesc.edu.br que nós não deixamos de atender aos empreendedores. Então, qualquer demanda de novas ideias a gente recepciona e, se não estiver em processo de seleção de projetos, a gente encaminha para o próximo semestre

 

Hoje, Patzlaff avalia que atingiu o seu objetivo e se vê sempre em busca de novos desafios. Ele diz que quando um objetivo é alcançado, logo surge um novo para ser conquistado. É isso que faz o seu negócio progredir.

 

Nós fornecemos uma completa linha de produtos destinados à pesquisa científica na área odontológica. Neste contexto possuímos dispositivos, máquinas e equipamentos para desenvolvimento de novos materiais odontológicos e também para validação e controle de qualidade dos materiais odontológicos atualmente no mercado. Nossa empresa também oferece serviços de desenvolvimento de produtos voltados à saúde com suporte desde a ideia até a comercialização.

 

 

 

O primeiro produto criado pela Odeme foi um dispositivo de teste de microtração, que já está na sua oitava versão. Foi aceito, logo no início, nos mais diversos laboratórios de universidades norte-americanas e também em outros países. Hoje, a Odeme é reconhecida como um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para Saúde. Isso tudo prova que as boas ideias devem ser levadas adiante. Se você tem uma boa ideia, inove!