Em comemoração ao Dia das Crianças, que foi ontem – 12 de outubro – pensamos em diversas formas de voltar a este tempo, trazendo-nos recordações e ensinamentos que nos guiaram pela vida. A lista ficou infinita. Nesse sentido, resolvemos publicar a lista com as onze indicações descritas pela Letícia Albuquerque, no Portal Guia do Estudante. Consideramos que estaríamos contemplados nesta lista. Faça a sua também. Os livros que mais te marcaram e que te ensinaram os fundamentos da vida, como a liberdade, a amizade e a fantasia. Afinal de contas, podemos preservar a criança que habita em nós, mesmo quando precisamos ser adultos e tomar as decisões importantes para as nossas vidas. Boa leitura!

 

O Pequeno Príncipe (1943)

Começamos com o clássico de Antoine de Saint-Exupéry de 1943. Como narrador dessa história, o próprio Antoine conta sobre seu encontro com o Pequeno Príncipe, morador do asteroide B 612. Ao narrar suas aventuras, o personagem nos apresenta uma forma especial de olhar para as pequenas coisas da vida, além de vários ensinamentos que já marcaram várias gerações de leitores.

 

Por que ler?

Apesar de ser classificado como literatura infantil, o livro tem um teor filosófico incrível e fala sobre a perda da inocência e da fantasia quando crescemos.

 

Meu Pé de Laranja Lima (1968)

Esse clássico brasileiro escrito por José Mauro de Vasconcelos marcou a história de várias gerações, ganhou versão no cinema e deve ser sempre celebrado.  Nele, conhecemos a vida de Zezé, um garoto de 5 anos muito astuto e malandro, que sofre muitas violências do mundo adulto. De formas inusitadas, Zezé vai conhecer o afeto, o amor e a paciência longe de seus familiares.

 

Por que ler?

O livro fala sobre os desafios de ser criança em um mundo que está pouco aberto para a fantasia e sobre a importância do cuidado.

Flicts (1969)

A primeira obra infantil do Ziraldo é pouco falada, mas muito relevante. O livro é inovador porque traz personagens que não são pessoas, nem animais, nem objetos, mas sim, cores! Flicts é uma cor bege meio marrom, muito triste por ser diferente de todas as outras cores. Ao mesmo tempo em que ela vive se comparando por não ser tão bonita quanto o vermelho, o amarelo, o azul, também se sente excluída e rejeitada. Mas tudo muda quando Flicts entende que todas as cores são sempre especiais.

Por que ler?

O livro fala sobre a importância de aceitar o diferente.

A Parte que falta (1976)

No Brasil, esse livro ganhou uma popularidade enorme depois do vídeo da YouTuber Jout Jout. O autor Shel Silverstein nunca gostou de finais felizes e, com seus livros infantis, traz narrativas encantadoras ao mesmo tempo questiona como entendemos o que é o amor. Enquanto o protagonista procura pela parte que falta, ele nos faz refletir sobre o que é nos sentirmos completos.

Por que ler?

O autor questiona a forma como tratamos os relacionamentos e o quanto dependemos deles para sermos felizes.

 

Mania de Explicação (2001)

Outra obra sobre o significado das palavras, Mania de Explicação traz uma menina que tenta entender o mundo e seus sentimentos. Adriana Falcão e Mariana Massarani brincam com a curiosidade das crianças que estão sempre questionando os significados.  Mas para além de um dicionário de palavras, a protagonista traz definições poéticas e íntimas sobre o que vê e sente, como a solidão e a intuição.

Por que ler?

O livro instiga a criatividade para extrapolarmos os significados de coisas que, muitas vezes, deixamos de lado na obviedade do cotidiano.

 

Amanhecer Esmeralda (2005)

Essa pequena narrativa conta a história de Manhã, uma garota sonhadora, negra e moradora de uma favela. Apesar da força para enfrentar todos os dias, a garota se entristecia ao pensar que seu futuro seria limpando a casa dos outros como empregada doméstica. Até que, um dia, ela ganha um lindo vestido esmeralda e se encanta com sua própria beleza. Nesse momento, Manhã começa a inspirar todos ao seu redor.

Por que ler?

Inspira a acreditar que transformações acontecem de pequenas mudanças que começam em nós.

 

O Muro (2012)

O livro autobiográfico de Peter Sís resgata suas memórias crescendo atrás da Cortina de Ferro, durante a Guerra Fria.  Enquanto a Tchecoslováquia era ocupada pelos soviéticos, o regime comunista impunha regras e proibições sem fim a uma infância cheia de vontade de ser livre.  Peter conta como era a vida nessas condições, além dos poucos momentos em que a censura perdia, dando espaço para que rock’n’roll, os Beatles e até Coca-Cola burlassem as leis e invadissem o país.

Por que ler?

O livro traz a realidade do regime soviético através do olhar atento e curioso de uma criança.

 

Menino Drummond (2012)

Carlos Drummond de Andrade é um dos maiores poetas brasileiros, nessa obra infantil, traz sua experiência ao tentar entender o mundo à sua volta a partir de seu olhar de criança.  Com ilustrações de Angela-Lago, o poeta faz versos sobre a busca por amor, a família e a memória. Por que ler? A sensibilidade do autor vai fazer você olhar para a infância com um novo encantamento.

Por que ler?

A sensibilidade do autor vai fazer você olhar para a infância com um novo encantamento.

 

 

O Que é a Liberdade? (2015)

Será que existe uma definição universal para alegria, saudade ou liberdade?  A autora e artista plástica Renata Bueno e o personagem principal desse livro trazem diálogos incríveis para jogar luz sobre um conceito tão importante para sociedade.

Por que ler?

O livro mostra que mesmo um conceito tão poderoso quanto a liberdade pode ter diferentes significados para diferentes pessoas.

 

O Lagarto (2016)

Nesse conto de fadas escrito pelo ganhador do Nobel de Literatura José Saramago não se veem as fadas. A fábula instiga o leitor a ver fantasia no cotidiano, quando um lagarto aparece no meio da rua no Chiado. Com toda a cidade parada para ver aquele misterioso acontecimento, o escritor e as xilogravuras de J. Borges levam o leitor para um pequeno mundo fantástico.

Por que ler?

Além do enigma proposto por Saramago, a obra nos incentiva a nos encantar com os acontecimentos da vida real.

 

Histórias de Dormir Para Garotas Rebeldes (2017)

Uma coleção de histórias inspiradoras, o livro traz 100 textos sobre mulheres reais que realizaram conquistas incríveis.  livro faz parte do projeto Timbuktu Labs (EUA) e foi escrito por Elena Favilli e Francesca Cavallo.  Ele traz pequenas biografias de mulheres como Frida Kahlo, Serena Williams, Maya Gabeira, entre outras, acompanhadas de desenhos de ilustradoras do mundo todo. O livro também tem um podcast em português.

Por que ler? Conheça personalidades inspiradoras que marcaram a história realizando seus sonhos.