Dinheiro X Felicidade: o que pesa mais na hora de escolher uma carreira?

Dinheiro X Felicidade: o que pesa mais na hora de escolher uma carreira?

 

Para falar sobre o tema, conversamos com o coordenador do curso de Administração da Unoesc Xanxerê, professor Plinio Antonio Silveira, que faz algumas reflexões:

A felicidade ou o dinheiro é um tema polêmico para ser debatido, divide opiniões no momento de escolher a vocação profissional. O tema gera interrogações: quem é mais feliz? O profissional que faz o que gosta ou o profissional que tem uma boa remuneração?

Nessas questões, as pesquisas demonstram que as pessoas felizes são aquelas que conseguem trabalhar no que gostam e, ao mesmo tempo, ganham dinheiro com o seu trabalho.

O sucesso na escolha profissional envolve diferentes fatores, como mercado de trabalho e intensidade de esforços que cada pessoa dedica para alcançar seus objetivos. O gosto por determinada profissão é importante para a motivação e dedicação ao estudo. A dedicação e o empenho proporcionam oportunidades maiores que a média dos profissionais da mesma área.

Mas cabe alertar que o mercado de trabalho sofre influência de vários fatores externos, o que pode limitar a entrada em determinado momento, mesmo dos profissionais mais capacitados e motivados.

Para fazer uma boa escolha profissional, é importante conhecer quais são os seus interesses e as suas habilidades para desempenhar determinadas atividades.

As pesquisas evoluíram nos últimos anos, mas não encontraram uma fórmula para a felicidade. A felicidade depende de cada pessoa, de seus objetivos, seus sonhos, suas experiências, família, trabalho, entre outros fatores externos.

 

Digital composition of thoughtful woman in straw hat standing in front of chalkboard with question marks

 

5 novas necessidades do mercado de trabalho para formados em tecnologia

5 novas necessidades do mercado de trabalho para formados em tecnologia

 

A professora Rosicler Felippi Puerari, coordenadora do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Unoesc Xanxerê, recentemente participou do Campus Party, em São Paulo. O evento, que ocorreu de 31 de janeiro a 3 de fevereiro, reuniu centenas de campuseiros – como são chamados os participantes da feira –, do país e do exterior.

Na oportunidade, a professora acompanhou a apresentação das mais recentes inovações e tendências nas áreas de Tecnologia e Design. A seguir, com base em suas observações do evento, ela lista cinco novas necessidades do mercado de trabalho para formados em tecnologia:

Leia mais

Primeira audiência, relação advogado e cliente e como montar um escritório de advocacia são os assuntos da entrevista com o advogado Clóvis Dal Cortivo

Primeira audiência, relação advogado e cliente e como montar um escritório de advocacia são os assuntos da entrevista com o advogado Clóvis Dal Cortivo

 

O Blog da Unoesc conversou com o advogado Clóvis Dal Cortivo. Na Unoesc, ele se formou em Direito, no ano de 1992, e fez especialização em Direito Processual Civil, além de diversos cursos através da Escola Superior de Advocacia. Durante a entrevista, ele compartilhou toda a sua experiência nesses 23 anos de profissão.

 

1) Quais as dificuldades que um advogado enfrenta para se inserir no mercado de trabalho?

Entendo que como todas as profissões, salvo algumas exceções, a maior dificuldade é no início, até se tornar conhecido e formar uma clientela. Quando me formei, em agosto de 1992, eu ainda era funcionário de um banco privado que, na semana seguinte a da formatura, me transferiu para Balneário Camboriú. Lá permaneci até abril de 1993, quando solicitei meu desligamento para retornar à Joaçaba e passar a atuar na advocacia. Na época, havia em Joaçaba advogados que já atuavam há bastante tempo e tinham um nome forte e consolidado no mercado, o que gerava dificuldade para inserção de novos profissionais.

Iniciei fazendo advocacia geral. Na época não haviam defensores públicos no Estado de Santa Catarina, então, a defesa das pessoas desprovidas de condições financeiras para arcar com as custas de um processo era realizada por advogados dativos, ou seja, por aqueles advogados que haviam se disponibilizado junto ao poder judiciário para atuar nos processos em que fossem nomeados pelos juízes. Nesses casos, o trabalho geralmente era prestado de forma gratuita, pois, eram raras às vezes que o Estado de Santa Catarina cumpria a sua obrigação e remunerava os profissionais da advocacia que atuavam nessa condição.

Mas, foi um trabalho que rendeu bastante experiência e me possibilitou atuar com mais segurança. Além disso, como a publicidade na advocacia possui restrições impostas pelo Código de Ética, passei a fazer visitas a pessoas que conhecia em razão da atividade que exercia anteriormente, divulgando, assim, a minha atividade como advogado. Aos poucos, os clientes foram surgindo, os serviços se multiplicando, até conseguir me estabelecer no mercado.

 

2) Que dicas você daria para quem quer montar um escritório de advocacia?

O primeiro passo é se preparar bem. Se dedicar muito aos estudos, aproveitar ao máximo a base que a universidade proporciona, e, se possível, ir definindo durante o curso a área que pretende atuar, o local, e qual a estrutura que pretende montar para iniciar a atividade.

 

3) Como deve ser o comportamento de um advogado para que ele seja respeitado?

A relação entre advogado e cliente é de confiança. O cliente deve estar sempre bem informado sobre seus direitos e riscos que uma ação envolve. O advogado não pode, jamais, ser um “vendedor de ilusões”, o cliente precisa saber quais as probabilidades de vencer e de perder determinada demanda. Se o cliente estiver desde o início ciente de seus direitos e dos riscos que ele corre em determinada relação jurídica, na medida em que esses direitos e esses riscos vão se concretizando, ele percebe que foi bem orientado, passa a ter confiança e respeito pelo profissional da advocacia.

 

4) Que dicas você daria para ajudar os advogados que farão sua primeira audiência?

Antes de mais nada, estudar o processo e saber exatamente o que está se questionando e o que vai ser tratado na audiência. Se é de conciliação, debater com o cliente sobre os riscos e possibilidades de acordo. Se não há possibilidade de acordo e a audiência tem outra finalidade, como, por exemplo, ouvir testemunhas, verificar quais os pontos controvertidos e de preferência já levar prontas as perguntas que pretende fazer para as testemunhas. Se existem preliminares que possam ser analisadas pelo juiz, fazer um estudo sobre a viabilidade ou não de acolher eventual decisão proferida em audiência. Se houver esse preparo, o nervosismo natural na primeira audiência, desaparece em poucos minutos.

 

BLOG ADVOGADO 2 JBA 0916

Clóvis Dal Cortivo

 

Marta Verônica Buss, mestre em Ciência e Biotecnologia, conta como foi sua trajetória e o que pensa do seu futuro profissional

Marta Verônica Buss, mestre em Ciência e Biotecnologia, conta como foi sua trajetória e o que pensa do seu futuro profissional

 

O ramo da Ciência e Biotecnologia vem crescendo largamente e começa a ser visto de forma diferente por quem pretende ascender profissionalmente. O mercado profissional​, ​ quer seja na docência ou na indústria​, est​á ​em expansão e abrindo espaços para boas colocações, com salários bastante atrativos. A Unoesc mantém no campus de Videira o curso de graduação em Biotecnologia Industrial e o Mestrado em Ciência e Biotecnologia, possibilitando a profissionalização para muita gente que est​á​ ​à​ procura ​de novas oportunidades de trabalho.

A mestre​ em Ciência e Biotecnologia​, ​ Marta Verônica Buss​, ​é um exemplo de luta e persistência. Também graduada pela Unoesc Videira, buscou no mestrado novos conhecimentos e hoje atua como docente na universidade e já pensa em cursar doutorado. Numa entrevista ao Blog​, conta como foi sua trajetória e o que pensa do seu futuro profissional. Acompanhe!

 

MARTA BUSS 3 VDA 1116

 

1) Por​ ​que você escolheu o Mestrado em Ciência e Biotecnologia?

Escolhi cursar o mestrado em Ciência e Biotecnologia após ter recebido o convite da professora doutora Estela de Oliveira Nunes, que fez a divulgação do mestrado em sala de aula, já na minha graduação. Na ocasião​, ela esclareceu sobre os pré-requisitos para ingressar ​n​o programa e informou sobre as possibilidades de bolsas de estudos em projetos de parceria da Unoesc com o CIBiogás, da ITAIP​U​. Além disso, como o programa é realizado na cidade onde eu moro, isso facilitou a tomada de decisão para a realização do mesmo​, ​por não ter custo de deslocamento e hospedagem.

2) Como você avalia o mestrado? Atendeu suas expectativas?

O curso é muito bom​ e​ superou as minhas expectativas em relação à qualificação dos docentes, que fazem parte do programa, bem como à estrutura dos laboratórios, que juntos me auxiliaram na elaboração da pesquisa.

3)  O mestrado lhe abriu portas?

Com certeza, abriu muitas portas e novas possibilidades, pois antes de ingressar ​no ​mestrado​, eu estava trabalhando na área ambiental de uma agroindústria​, ​desempenhando a função de operadora de Estação de Tratamento de Afluentes e Efluentes, e como cursava a 9ª fase de Engenharia Sanitária e Ambiental​, ​​já na finalização desta minha segunda graduação, na empresa que estava não ​teria perspectivas de crescimento profissional.

Após seis meses​​ no mestrado​, ​eu já estava lecionando a minha primeira disciplina na graduação em regime emergencial​. Essa experiência inicial foi muito proveitosa e ajudou para a definição da minha carreira profissional. Além disso, conheci pessoas incríveis, inúmeros pesquisadores e professores que auxiliaram a realização da minha pesquisa e, com certeza​, ​ todos contribuíram para o meu aprendizado profissional e pessoal.

4)  O seu local de trabalho atualmente est​á​ relacionado à área?

Sim, atualmente sou professora em tempo integral do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da Unoesc Videira. Ministro componentes curriculares nos cursos de graduação de Engenharia de Alimentos, Engenharia Sanitária e Ambiental, Arquitetura e Urbanismo ​ e​ Biotecnologia Industrial. Estou realizando pesquisas na área da Biotecnologia Ambiental e orientando alguns acadêmicos em trabalhos de conclusão de curso sobre a mesma temática.

5) Você recomendaria o mestrado de Ciência e Biotecnologia para outras pessoas?

Recomendo muito. Porque, assim como mudou a minha vida​, ​o mesmo pode transformar e melhorar a vida de outras pessoas. ​O​ conhecimento é a melhor arma para se usar nestes tempos de crise. Eu vejo em cada problema que surge​, ​uma oportunidade, de pesquisa e estudo para solucioná-lo e​, ​desta forma​, ​a construção de um novo conhecimento.

6) Você pretende seguir sua formação em nível de doutorado em alguma área da Biotecnologia?

Sim, pretendo fazer o doutorado em Biotecnologia Ambiental, continuando minhas pesquisas em ​bioengenharia.

 

MARTA BUSS 2 VDA 1116

Professora Marta Verônica Buss

5 motivos para você fazer mestrado em Ciência e Biotecnologia

5 motivos para você fazer mestrado em Ciência e Biotecnologia

 

Você já ouviu falar do Mestrado em Ciência e Biotecnologia da Unoesc? E da importância desse curso para o mercado de trabalho? Quem tem essa formação acadêmica, tem mais chances não só de conseguir uma boa vaga, mas também de se manter no emprego, subir de cargo e ampliar ainda mais a sua gama de conhecimentos. Dessa forma, vamos listar cinco motivos para você começar o mestrado e entender a importância dessa formação para o seu currículo.

 

1) Crescimento profissional

O mestrado é uma oportunidade para se aprofundar em uma área com a qual você se identifica. Ele também é responsável por fazer com que a sua visão de mundo seja ampliada. Você adquire novas experiências, tem contato com diversos profissionais e convive com outras realidades, que talvez não tivesse acesso antes de ingressar no mestrado. Além disso, ele permite que a construção do seu currículo seja mais específica e que você tenha as qualificações necessárias para desempenhar sua função dentro de qualquer empresa.

2) Atuação em oito áreas de estudo

O Programa de Mestrado em Ciência e Biotecnologia abrange oito áreas de estudo: Bionegócios, Empreendedorismo, Inovação na Agroindústria, Ciências Biológicas, Ciências Farmacêuticas, Ciência dos Alimentos, Ciências Ambientais, Ensino de Ciências e suas Tecnologias. O Programa possibilita que profissionais das mais diferentes áreas do conhecimento possam ter a oportunidade de se tornarem mestres com competência teórica e prática para a atuação em organizações públicas e/ou privadas.

3) Oportunidade de realizar intercâmbio

Além de participar de palestras por webconferência, os alunos do Mestrado em Ciência e Biotecnologia podem realizar intercâmbio no Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), na sede La Consulta, em Mendonza, na Argentina. A parceria com a Unoesc corresponde às áreas de Vitivinicultura e Agronomia, com ênfase em extensão e desenvolvimento rural, para prática supervisionada e observatória. Também é possível realizar intercâmbio em universidades europeias, como, por exemplo, a Universidade do Porto, em Portugal e a Universidade de Murcia, na Espanha.

4) Apoio técnico científico de grandes empresas e de outras Instituições de Ensino Superior

O mestrado em Ciência e Biotecnologia possui o apoio técnico cientifico de 11 empresas brasileiras. Essa parceria permite que os alunos desenvolvam seus projetos de pesquisas de mestrado ou conheçam melhor a gestão e o sistema produtivo dessas empresas, por meio de visitas técnicas. As empresas vinculadas ao Programa, são: Bioplus – Desenvolvimento Biotecnológico, BRF Brasil, Ecológica, Videplast, Tirol, Coopervil, O Boticário, Epagri, Terranálises, Fischer, Master e Senai-SC. Outras Instituições de Ensino Superior (IES) no Brasil e no exterior também são parceiras da Unoesc, por meio de docentes vinculados aos grupos de pesquisa do mestrado, que atuam na co-orientação de projetos de dissertação dos alunos.

5) Público-alvo abrangente

O Programa abrange, principalmente, 15 áreas do conhecimento: Administração, Agronomia, Biotecnologia Industrial, Ciências Biológicas, Economia, Engenharia de Alimentos, Engenharia Sanitária e Ambiental, Engenharia Bioenergética, Engenharia Florestal, Engenharia Química, Farmácia, Medicina Veterinária, Nutrição e Pedagogia.

 

MESTRADO CIENCIA E BIOTEC 1 JBA 1116

 

Esses são apenas alguns diferenciais do Mestrado em Ciência e Biotecnologia para a sua carreira profissional. Se você gostou do nosso conteúdo e quer ter mais dicas como essas, acesse o Blog da Unoesc!

5 motivos para cursar Informática

5 motivos para cursar Informática

 

A tecnologia está presente constantemente em nosso dia a dia, por isso ter conhecimentos em informática é fundamental. Além disso, o acesso da população à internet é cada vez maior, demonstrando que cursar Informática pode ser uma escolha promissora. Conheça cinco bons motivos para optar por essa carreira.

Leia mais

Gislaine Luvizão comenta sobre a carreira de professor e o mercado de trabalho do engenheiro civil

Gislaine Luvizão comenta sobre a carreira de professor e o mercado de trabalho do engenheiro civil

 

Nesta semana, o Blog da Unoesc entrevista a professora do curso de Engenharia Civil da Unoesc Joaçaba, Gislaine Luvizão. Ela fala sobre a atuação do engenheiro civil no mercado de trabalho e explica por que seguiu a carreira de professor.

Leia mais

Diplomado da Unoesc fala sobre sua carreira como professor de Educação Física

Diplomado da Unoesc fala sobre sua carreira como professor de Educação Física

 

O professor Ivan Atolini graduou-se em Educação Física, em 2003, na Unoesc Xanxerê. Após, fez duas pós-graduações, em nível de Especialização, em Fisiologia do Exercício (2004) e Gestão de Academias (2009). Multifunção, além de atuar como professor municipal de Educação Física, atualmente ele está à frente do Clube de Basquete de Xaxim (que coordena desde 1996), gerindo uma associação com 120 atletas, entre as categorias sub-10, sub-12, sub-13 e adulto, e da Fit Total Academia. Nesta entrevista, o professor conta um pouco de seus tempos de estudo no campus de Xanxerê — conforme ele, ainda saudosos — e relata como é conciliar a administração de uma academia com suas atividades de professor de Educação Física, além de dar dicas para quem pretende se destacar na área.

Leia mais

Conheça a trajetória profissional do cirurgião-dentista Walmor Dresch Ströher

Conheça a trajetória profissional do cirurgião-dentista Walmor Dresch Ströher

 

Walmor Dresch Ströher formou-se em Odontologia, na Unoesc, em 2005. Especialista em Saúde da Família e Prótese Dentária, Walmor tem um consultório particular no centro de Joaçaba e é o atual secretário de Saúde do município de Luzerna. À primeira vista, pode parecer que todas essas conquistas foram fáceis e rápidas. Pelo contrário! Como todo cirurgião-dentista, Walmor encontrou pela frente alguns desafios antes de alcançar o sucesso profissional. Nesta entrevista, ele comenta sobre a realidade do mercado de trabalho e dá dicas para quem está se formando.

Leia mais