A formação de professores volta a ser destaque, especialmente pelos diversos questionamentos sobre sua efetividade quanto à prática docente frente aos novos contextos que se apresentam em sala de aula, seja na figura dos alunos, seja na necessidade de novas metodologias de ensino e, principalmente, sobre o professor e as habilidades necessárias para lecionar nos tempos atuais.

Refletir sobre isso nos remete a considerar as mudanças valorativas que se impõem às escolas e aos professores, bem como, a qualidade da formação de professores para atender a esse novo contexto social.

O professor precisa compreender que tanto o ensino como os processos de aprendizagem se modificam e ele precisa estar preparado para ser o que chamamos atualmente de gestor do processo de aprendizagem. Para isso, precisa compreender como é promovida a aprendizagem em sala de aula; que aprendizagens são orientadas e reforçadas; como é o processo de interação dos alunos entre si e com o professor; como o professor orienta e promove a dinamização das atividades de aprendizagem individuais e em grupos de alunos; como o professor observa e orienta os desvios de atenção dos alunos do foco de aprendizagem e, ainda, que processos educacionais são importantes para a promoção da aprendizagem.

Essas questões demandam a observação e reflexão pelo professor interessado em melhorar seu desempenho docente, de modo a promover com maior efetividade a aprendizagem de seus alunos e, portanto, como afirma Luck (2014, p.23), “O processo de ensino-aprendizagem consiste, eminentemente, em um processo de gestão, que na sala de aula é exercido diretamente pelo professor. ”

Como gestor da aprendizagem, o professor organiza o seu trabalho com foco nos alunos envolvidos e em um conjunto de fatores que interferem diretamente no processo de aprender, como os fatores relacionados aos alunos de natureza emocional, cognitiva, psicomotora, social e cultural. Destacam-se também, os fatores relacionados ao meio familiar do aluno, com as condições socioeconômicas e culturais, a estimulação ambiental e as expectativas em relação à aprendizagem.

Do outro lado, como gestor do processo de aprendizagem, o professor ainda precisa estar atento aos fatores relacionados à escola como o clima e a cultura organizacional da mesma, a sua organização interna e o seu Projeto Político Pedagógico, bem como à questão da comunicação com o aluno, o relacionamento interpessoal, novas metodologias de ensino e recursos para a estimulação da aprendizagem.

Como colocam Ramalho, Nunez e Gauthier (2004, p.53):

O professor, além do domínio do conteúdo, precisa conhecer as metodologias de ensino, as epistemologias da aprendizagem, os contextos e diversos fatores para que esteja apto a educar. Exige-se do profissional do ensino que tenha uma formação aprimorada, obtida em curso de formação superior e bastante refinada.

Ao promover o conhecimento de todas essas áreas que envolvem o processo educativo, o professor se credencia a compreender a complexidade que envolve a docência e, assim, pode articular novas maneiras de promover a aprendizagem de seus alunos. É importante reconhecer que é na sala de aula que ocorre a aprendizagem e que é o professor o responsável direto pelos resultados de seus alunos, por isso exige-se a competência pedagógica para enfrentar com mais efetividade, os desafios de promover a aprendizagem de todos os seus alunos.

Essa preparação para a docência torna-se decisiva para obter o êxito profissional, que ultrapassa a obtenção de um canudo, de um título acadêmico, pois isso é apenas um registro de um ciclo formativo. Mas, se esse ciclo não lhe agregar conhecimentos sobre os processos educativos, sobre o conhecimento de novas metodologias, sobre a compreensão do seu aluno e da gestão escolar como um todo, das políticas educacionais, da pesquisa, da extensão, da possibilidade de trabalho coletivo e das experiências trocadas na coletividade, será um forte candidato a reproduzir em sala de aula, modelos estereotipados de metodologias ultrapassadas e desconectadas com as novas necessidades educacionais.

É nesse sentido que o curso de Pedagogia da Unoesc busca oferecer aos seus acadêmicos, múltiplas oportunidades para conhecer as diferentes realidades educacionais, bem como aprofundar conhecimentos essenciais para a profissionalização docente, de forma a garantir a seus egressos, competências e habilidades necessárias para a docência no contexto atual.

Optamos por uma formação mais densa, com leituras e estudos dirigidos por profissionais capacitados e com experiência de docência, que além de organizar o processo formativo dos futuros professores, também promovem a inserção de práticas docentes, sejam em laboratórios estruturados na própria universidade, como a brinquedoteca, biblioteca infantil, laboratórios de anatomia e de psicomotricidade, como vivências que promovem a construção de material didático, palestras, oficinas práticas, viagens de estudo, seminários e trocas de experiências com profissionais que já atuam nas redes públicas e privadas de ensino.

Essas trocas de experiência são diferenciais únicos para a formação profissional, pois ultrapassam o modelo tradicional de ensino, de apenas receber os conteúdos, ou assistir a vídeos explicativos e promovem a participação ativa de acadêmicos e professores na construção do processo educativo.

Outro grande diferencial do curso encontra-se na inserção dos acadêmicos na prática educacional desde o início do curso, seja através de visitas técnicas, seja pelos diferentes programas que o curso oferece, como o Programa de Iniciação à Docência – PIBID –, onde o acadêmico recebe bolsa de estudo para atuar na escola sob a supervisão de um professor que lhe auxilia na compreensão do processo educativo no ambiente escolar.

Outras experiências também são obtidas a partir dos diferentes projetos de extensão que envolvem a comunidade, como a brinquedoteca, os contadores de história, a inserção dos acadêmicos em ações de filantropia que fortalecem o lado humano e ultrapassam os bancos universitários.

Destacam-se também no curso, a pesquisa e a participação em eventos científicos e culturais, agregando saberes docentes à formação do Pedagogo, que diferenciam o curso em relação à sua formação para a docência, pesquisa e extensão e para a gestão.

O curso de Pedagogia pensa na profissionalização docente de seus acadêmicos, garantindo a empregabilidade e os conhecimentos necessários para uma docência que ultrapasse os modelos tradicionais de ensino, pois tanto a escola como os alunos vivem um momento diferente e repleto de inovação e, se o pedagogo não vivenciar saberes que lhe garantam a possibilidade de inovar, de pesquisar e de criar situações novas que proporcionem aos alunos novos conhecimentos, metodologias e também valores humanos, continuaremos sendo meros professores “dadores” de aula, indo de encontro ao contexto atual que exige professores reflexivos, pesquisadores da própria docência e comprometidos com a educação.

Não basta ser pedagogo, ter um título acadêmico. É necessário fazer a diferença, buscar alternativas educacionais, conhecer amplamente a escola, enfim, ser o gestor do processo de aprendizagem de seus alunos.

 

*Artigo: Professor da Unoesc Videira, Geraldo Vieceli

 

Saúde e educação na comunidade

Apresentação cultural

Contação de histórias

Aulas de laboratório

Pessoas com deficiência

Seminário PIBID

Socialização de estágios

Viagem de estudo

Vigem de estudo projeto TAMAR

Deixe seu comentário pelo Facebook